Leve uma leve Bagagem

image1

E preparando a mala para passar uns dias com meus amados pais, me lembrei da recente norma que sugere um peso mínimo na bagagem para carregar no vôo. Isso significa acatar a norma ou pagar taxas extras se o peso exceder. Interessante essa nova lei! Confesso que, no início, não gostei muito disso. Mas agora isso me faz pensar no que vale a pena ou não carregar. O que realmente é importante levar na bagagem e o que é peso desnecessário? E na arrumação da mala, vou olhando para cada peça. Faço uma boa checagem, pegando peça por peça e avaliando o grau de importância de cada uma. E me pergunto: “Isso realmente é importante? Vai ser útil? Eu preciso disso? Terei necessidade dessa roupa ou desse acessório?” E vou colocando ou não na mala a partir das respostas que me vem. E assim consigo ajeitar em uma maleta de mão umas poucas peças pra usar no tempo programado para viagem.
Aprender organizar a bagagem para a viagem e para a vida é fundamental! O que estamos carregando na nossa mochila de vida? E fazendo essa analogia, me veio esse trocadilho: “Leve uma bagagem leve”, pois nos aeroportos da vida podemos ter que prestar contas por excesso de peso. E se não cuidarmos, o valor a ser pago pode ser alto.
Eu fico pensando como é importante organizar nossa mochila de vida. Rever se aquilo que carregamos nessa viagem aqui chamada vida é realmente útil ou não! Aprender a carregar apenas o que é necessário, útil e bom! A medida que os anos vão passando a bagagem vai aumentando e as vezes nem percebemos que o peso se torna insuportável. E ficar sentado à beira do caminho, esperando que caminhantes venham nos ajudar, pode ser em vão. Pois cada um está ocupado carregando sua própria mochila.
Aí é importante parar e abrir a bagagem. Olhar cuidadosamente para cada “peça” que ocupa espaço nessa mochila e se perguntar para que isso serve? Isso é útil? E se a resposta for negativa, descarte imediatamente. Descartar dores, ódio, magoa, rancor, medo, ressentimentos e emoções tóxicas. Livrar-se de lembranças pesadas de um passado triste pode aliviar o peso e tornar a caminhada prazerosa. Jogar fora, desapegar, deixar ir embora tudo que não é mais útil na caminhada. Ter coragem de puxar tudo isso para fora da mochila e dar espaço para a alegria, deixar o amor, a gratidão e fé tomar conta de todo o espaço da bagagem de vida. Essa é uma atitude sensata de quem deseja viajar com a máxima comodidade, ter atenção livre para desfrutar do que tem de mais belo na viagem da vida!
Torne a mochila leve e transforme seu caminhar em uma dança, feliz e contagiante. Você veio para desfrutar desse tempo aqui com o coração leve e o olhar apreciativo. Sinta a fonte inesgotável de amor e alegria que existe em você e permita que isso transborde, beneficiando a todos que encontrar no caminho, reascendo a esperança e o encantamento dessa viagem extraordinária chamada vida. E eu vou procurar fazer o mesmo!

Tome cuidado com o vazio de uma vida ocupada demais

Meditatie 2

O filósofo que dizia que nada sabia, mas que na verdade sabia de tudo.

Quanto mais uma pessoa tem coisas para fazer, mais  vazio ela sente dentro de si. O movimento frenético  do lado de fora, indica que algo não anda bem do lado de dentro.

A pessoa que se movimenta demais, que pensa demais, que fala demais e vive rodeada de gente, está  na verdade tentando fugir dela mesma, ela teme a  sua própria companhia, não sabe o que fazer com o seu vazio interno.

Você viu o que aconteceu, ano passado. quando o Brasil se viu sem   WhatsApp…  Bastou um dia de ausência para que uma população inteira chegasse ao desespero, sentindo-se inútil, completamente órfã. Nos olhares aflitos

que miravam incrédulos o aplicativo desligado, notava-se  nitidamente o sofrimento de quem, de repente, foi  lançado num imenso vazio existencial.

O que faço comigo agora? Como encarar o desconhecido  que existe dentro de mim? Como saciar uma mente ávida  que está viciada em superficialidades?

E quanto mais uma pessoa foge dela mesma, mais espaço  vazio vai criando dentro de si, mais distante vai ficando da sua essência divina. É nesse contexto que surge a tristeza, a depressão.

Se nos distanciamos de nós mesmos, da nossa essência  divina, evidentemente nos distanciamos de Deus. Passamos então a perambular pela vida, mendigando afeto e atenção e nos contentando com os brinquedinhos do mundo material.

Somos seres espirituais passando por uma experiência material, é evidente que o tempo dedicado ao espírito precisa ser maior do que o dedicado às coisas do mundo  material. A alma necessita de atenção e cuidados tanto quanto o corpo…

O silêncio é o alimento da alma… E por que tantos fogem do silêncio? Porque ele nos leva ao encontro de nós mesmos. Como a maioria não se conhece, teme esse encontro.

Uma vida ocupada demais traz como consequência natural o vazio existencial e muito sofrimento. O bom da história é que temos a todo instante a liberdade de escolher entre uma vida vazia, voltada para o superficial e o efêmero, e uma vida profunda, preenchida de amor e paz.

 

Sem Deus somos crianças perdidas, passamos a nos comportar igual a multidão quando se encontra sem Wi-fi , sem face, sem  o WhatsApp…

Esse pode ser um bom momento pra refletirmos o que realmente é importante!