Reinventando_a_relacao

Reinventando a relação

A vida a dois não é uma construção simples e nem fácil, exige um cuidado diário. Se o casal descuida da relação, ela fica frágil e adoece. Por isso é importante parar de vez em quando para avaliar, perceber como está essa união, medir os prós e contras e tomar consciência, assumir a responsabilidade de não deixá-la enfraquecer. Refletir: Como está minha postura diante do outro? Qual a versão de mim eu estou entregando para essa relação? Buscar perceber como está minha forma de comunicar e cuidar do outro, pode ser um primeiro passo para encontrar um novo olhar. A vida a dois exige entrega, renuncia e maturidade. Aprender a me colocar no lugar do outro e entender que ele é diferente de mim. Não basta amar o outro. É importante que o outro se sinta amado. E cada um tem uma carência diferente, quando se trata de amor! A falta de diálogo e simples gestos de carinho e cuidado deixa a relação tóxica, contaminada com atitudes negativas. E aí pode ser um bom momento para reinventar a relação. Uma reflexão interessante, como: “O que me fez sonhar em ter essa pessoa do meu lado pra sempre? Como era no início, quando tudo começou?  O que fez o sentimento de amor florescer?” Ao abrir esse arquivo com essas lembranças, estou trazendo de volta as razões que me uniu a pessoa amada. Entrar em contato com as memórias que estão no arquivo do passado, remotas ou não, pode trazer de volta os sentimentos e resgatar um pouco da relação, tornando-a mais leve. Experimente rever alguns flashes, como se você passasse um filme da história do casal, lembranças boas e alegres.  Reveja fatos, viagens, fotos, conquistas que fizeram juntos. Essa nostalgia ajuda no resgate da relação. Uma construção começa com o primeiro tijolo e vai se erguendo aos poucos. Na relação conjugal não é muito diferente. Cada gesto de gentileza, cada atitude de cuidado, cada sentimento expresso de gratidão vai construindo e fortalecendo a relação. Aprender a viver um dia por vez, olhar o lado positivo do outro, reforçar as qualidades e os pontos fortes, procurar não se irritar com pequenas coisas, pode ser o caminho para nutrir a relação. Ter comportamento reativo, atitudes imaturas, abala a relação e se persistir pode desabar toda a construção. Inteligência conjugal é ter a consciência que problemas fazem parte do convívio, considerando que cada cônjuge tem uma forma diferente de pensar, de agir e de ser. Respirar e perceber com cuidado o motivo do conflito, lidar com isso de forma assertiva e positiva amadurece a relação. Aprender a exercitar a flexibilidade na convivência diária, aprender a ceder, negociar, ter empatia, faz parte da dança de quem quer manter uma união saudável.  Aprender a gerenciar o ciúme, ter muito cuidado com as palavras ditas em momentos de raiva, evita magoas e muitas vezes destruição do relacionamento. Lembre-se, muitas vezes “é melhor ser feliz do que ter razão!”  Antes de falar ouça, analise o que vai falar. Pense, se fosse você ouvindo, como se sentiria? E se isso é algo realmente importante para ser dito, se é o melhor momento,  qual a melhor forma de dizer? Procure ter um estado emocional favorável, fale com clareza pontuando o que é relevante, sem julgamento e sem palavras duras carregadas de deboche e críticas.  Não existe uma fórmula mágica e nem relacionamento perfeito, mas existe sempre um caminho pra reinventar a relação tornar-la mais leve e feliz! Afinal, não deve ser por acaso que a vida permitiu que esse encontro acontecesse, não é mesmo?

Deixe um comentário