foto luiza tribuna

Você conhece as doenças da Alma?

Você já ouviu falar sobre as doenças que estão enfraquecendo a alma? A humanidade está sofrendo de distúrbios acarretados por razões psíquicas. Pesquisas apontam que esse é o mal maior do século. Somos seres espirituais e a nossa essência tem necessidade de se nutrir de alegria, amor, paz e fé. Temos necessidade de ter pensamentos e sentimentos alinhados com nossa essência. Quando grudamos em uma forma de pensar desalinhada dessa natureza, quando começamos a semear dúvidas, medos, inseguranças, nos desencorajamos e adoecemos a alma.

A alma doente, somatiza esse tóxico e contamina o ambiente onde ela habita, que é o corpo. Nosso corpo funciona como uma antena parabólica que capta todos os sinais. E quando nossa mente está confusa e desequilibrada as consequências são drásticas. Tudo começa com a nossa falta de habilidade de controlar o fluxo e a qualidade dos pensamentos.

O turbilhão de pensamentos acelerados cria emoções e sentimentos tóxicos provocando distúrbios e doenças mentais que aos poucos vão se instalando no corpo. Uma alma infectada por pensamentos tóxicos tira a nossa energia, enfraquece o sistema imunológico e nos deixa sem forças para sonhar e viver. Planejar o futuro, fazer planos e projetos, nem pensar!

Conhecidas como “doenças da alma ou psicossomáticas”, a depressão, ansiedade, medo, pânico, aflição, se alojam no corpo causando problemas de pele, gástricos, respiratórios e até mesmo, câncer, tirando a alegria de viver, a fé e a esperança, contaminando todas as áreas da vida. São grandes os prejuízos, não só no corpo, mas também nas relações pessoais e profissionais, tirando a pessoa do seu próprio eixo. Problemas familiares, doenças, perda de um ente querido, problemas afetivos, sociais ou financeiros podem desestruturar totalmente a pessoa e roubá-la o encanto pela vida. O caminho é tomar consciência, diagnosticar e procurar cuidar de forma adequada, assumindo a responsabilidade de tratar corretamente.

Desde o método socrático o discurso é o mesmo: “Conheça-te a te mesmo”. O convite continua valendo. Aprenda a olhar para dentro de você e conhecer a si mesmo. Pergunte-se: De onde vem esse desconforto? Quais são os pensamentos que eu estou sustentando e qual o impacto que isso tem em minha vida? Isso significa que eu posso mudar minha forma de pensar e com isso me libertar dessa prisão que estou criando para mim mesma. Aprender ouvir e conversar com o corpo com a curiosidade de buscar a raiz daquilo que está causando tanto mal. As vezes ouvimos as pessoas falando: “Do nada a pessoa adoeceu, Do nada a pessoa se deprimiu”. Será? Ou a pessoa se descuidou de si mesma e do que estava acontecendo no seu mundo interno?

Muitas vezes desconhecemos a raiz do problema e tratamos o efeito ignorando a causa. A Doença é o efeito e a causa pode estar enraizada, encoberta e requer um certo esforço em enxerga-la e tratá-la. Caso contrario, é como passar maquiagem numa parede que está cheia de infiltração. Acreditar no que está na superfície e grudar nos sintomas pode ser um grande autoengano. A doença, muitas vezes é um caminho de oportunidades para a pessoa se autoconhecer, evoluir, se descobrir e amadurecer.

A psicologia positiva, criada pelo psicólogo Martin Seligman é uma ciência que nos ensina a tirar o foco da patologia, buscar identificar as forças internas e olhar para aquilo que está funcionando, enxergar as possibilidades, porém isso só é possível quando eu me conheço. Posso afirmar que o autoconhecimento nos previne das doenças da alma.

Deixe um comentário